AlmalusA_5

No fim-de-semana passado vivi um verdadeiro momento AlmalusA.

Num sitio muito especial, que comemorou os 400 anos da sua existência,
várias pessoas da terra juntaram-se para encenar uma Feira de Rua
“à moda antiga”.
Parecia que viajávamos para trás no tempo e nem a chuva nem o frio
fizeram desistir os participantes nem os visitantes.
Trajados a rigor com vestuário da época, passearam-se de carroça e
burro, venderem patos, coelhos e ovelhas, cestas de verga, vinho,
mel, bicicletas, loiça de barro, pias de pedra, abóboras de todos
os tamanhos e feitios e muitas coisas mais, tal como nas Feiras
de Rua à moda antiga…
Não faltou o sr. com o burro, o alfaiate e a costureira, o padeiro
com o pão com choriço, e o cão, fiel amigo e companheiro dos feirantes.
Mas o que mais gostei, foi da zona das mantas de retalhos,
confeccionadas nos teares de madeira manuais com restos de tiras de
tecidos coloridos e todos diferentes. Um verdadeiro hino à criatividade
das artesãs. Lindo!!!
Foi um momento muito Luso e com muita Alma, que me fez viajar pelo tempo
e me trouxe algumas  recordações doces da minha infância e me fez conhecer
melhor o passado dos meus avós.

Fiquei claramente com a frase na cabeça de que:
“a tradição ainda é, e pode ser, o que era!”.


Last weekend I experienced a true AlmalusA (LusaSoul) moment.

In a very special place, which celebrated the 400 years of its
existence, the people of there, have joined “to stage” a Street
Fair, like “old times”.
It seemed that we traveled back in time, and neither rain or cold,
made the participants and the visitors, giving up this great moment.
Dressed like “old times”, they walked with the donkey and the cart
loads, they sold ducks, rabbits and sheeps, wicker baskets, handmade
wine, honey, old bicycles, pottery, pumpkins of all shapes and sizes
and so many other things, such as the Street Fairs in the old times…
Who did not miss, was  the old man with the donkey and the cart load,
the tailor and the dressmaker, the baker with the sausage bread, and
the dog, faithful friend and companion of the fair dealers.
But what I liked the most was the area of patchwork quilts, made on
manual wooden looms, with leftover strips of colorful fabrics.
A true ode to the creativity of the artisans. Beautiful!!!
It was a very LusaSoul moment, that made me travel through time and
brought me some sweet memories of my childhood and made me understood
better the past and my grandparents life.

I stayed clearly with the phrase in mind that:
“tradition is still, and can be always, what it was!”.


		

COMENTÁRIOS

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s